Supremo dos EUA libera decreto que veta imigrantes de 6 países

A Suprema Corte dos EUA garantiu nesta segunda-feira (4) uma vitória ao presidente Donald Trump, ao permitir que entre plenamente em vigor seu veto migratório a pessoas de seis países de maioria muçulmana enquanto as disputas legais continuam em andamento em cortes inferiores.

O ato significa que agora serão proibidas de entrar nos EUA pessoas vindo do Irã, Líbia, Síria, Iêmen, Somália e Chade. Cortes inferiores tinham antes delimitado que o veto era válido somente para pessoas sem parentes morando nos Estados Unidos ou outras conexões já estabelecidas com o país.

Estão proibidos de entrar nos EUA cidadãos dos seguintes países:

  • Irã
  • Líbia
  • Síria
  • Iêmen
  • Somália
  • Chade

O veto de Trump também inclui pessoas da Coreia do Norte e alguns funcionários do governo da Venezuela, mas as cortes inferiores já tinham autorizado essas determinações a entrar em vigor.

Com dois votos contrários e sete a favor, a Corte Suprema cedeu ao pedido do governo Trump para suspender ordens impostas por duas cortes inferiores que haviam bloqueado parcialmente o veto, a terceira versão de uma política polêmica que Trump tentou implantar inicialmente uma semana após assumir a presidência, em janeiro.

Os membros da Suprema Corte disseram em duas ordens similares nesta segunda que as ordens que bloquearam parcialmente o último veto devem ser suspensas enquanto cortes de apelação em São Francisco, na Califórnia, e Richmond, na Virginia, avaliam os casos. Ambas as cortes devem ouvir argumentações esta semana.

As duas juízas da Suprema Corte que votaram contra, Ruth Bader Ginsburg e Sonia Sotomayor, disseram que teriam negado o pedido da administração.

Imagem de arquivo mostra manifestantes em protesto contra o veto migratório do presidente Trump realizado em outubro em Washington (Foto: Jim Watson/AFP)

Imagem de arquivo mostra manifestantes em protesto contra o veto migratório do presidente Trump realizado em outubro em Washington (Foto: Jim Watson/AFP)

Trump emitiu seu primeiro veto migratório tendo como alvo diversos países de maioria muçulmana em janeiro, depois lançou uma versão revisada em março, quando o primeiro foi bloqueado por cortes federais. O segundo expirou em setembro, após uma longa batalha judicial e foi substituído pela versão atual.

SHARE